Intérpretes auxiliam surdos na comunicação em serviços públicos
Ultima Atualização: 01/02/2017 às 11:05:22
Intérpretes auxiliam surdos na comunicação em serviços públicos

A dificuldade de comunicação enfrentada pelos amigos Dominique Juliete, 22 anos, e Lucas Jambeiro, 23, com um atendente de uma empresa de ônibus intermunicipal, no terminal rodoviário de Salvador, é somente um exemplo dos obstáculos enfrentados pelos surdos todos os dias. O que era para ser uma simples solicitação de gratuidade para viajar, direito adquirido pela lei do Passe Livre, não foi possível pela falta de preparo da empresa em atender às pessoas surdas.

“Reservei pela internet as passagens antecipadamente, mas, pelo despreparo do funcionário, ele não soube me explicar que o ônibus já estava com os assentos ocupados com outros deficientes. No final das contas, perdemos o horário do embarque e ainda tivemos que pagar a passagem para chegar a tempo ao nosso destino”, explica Dominique.

O equívoco no atendimento somente foi solucionado com o auxílio da Central de Intérpretes de Libras do Estado da Bahia (Cilba), equipamento vinculado à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS). Acompanhados com a intérprete até a ouvidoria da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações (Agerba), Dominique e Lucas fizeram a reclamação.

“Por meio da Cilba, os surdos e as pessoas com deficiência auditiva podem contar com a intermediação do intérprete de Libras, a Língua Brasileira de Sinais, para usufruir de todos os serviços ofertados pelo poder público, nas áreas de saúde, dos direitos do consumidor, e outros em que seja necessária essa intermediação”, informa o superintendente dos Direitos da Pessoas com deficiência da SJDHDS, Alexandre Baroni.

Atendimento

A Cilba funciona no Instituto Anísio Teixeira (IAT), na Estrada das Muriçocas, s/n, São Marcos, em Salvador. O atendimento é realizado de segunda a sexta, das 8h30 às 12h e das 13h30 às 17h30, com três intérpretes à disposição para atendimento presencial ou online para surdos, surdos-cegos, pessoa com deficiência auditiva e oralizados que utilizam a Língua Brasileira de Sinais.

Para utilizar o atendimento da Cilba, é preciso se cadastrar pessoalmente na central, apresentando carteira de identidade, CPF, cópia da audiometria e duas fotos 3x4. Para a intermediação do intérprete, a solicitação deve ser feita com cinco dias úteis de antecipação e a surdez deve ser comprovada. Mais informações estão disponíveis no site da SJDHDS.

 

Fonte: Ascom/SJDHDS

331 leituras