Planserv investirá R$ 1,2 bilhão este ano no segmento de saúde suplementar do Estado
Ultima Atualização: 12/03/2015 às 17:22:08
Planserv investirá R$ 1,2 bilhão este ano no segmento de saúde suplementar do Estado

Até o final do ano a Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais, o Planserv, investirá R$ 1,2 bilhão no segmento do setor de saúde suplementar do estado. O anúncio é da nova coordenadora-geral do plano, Cristina Cardoso, que também lança as novas diretrizes para as ações deste ano. Conforme dados recentes da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o Planserv é o maior plano de saúde da Bahia. Com 485,5 mil beneficiários, representa 1/4 do mercado do setor no Estado e o maior em número de beneficiários, à frente do Bradesco Saúde, que conta com 302 mil usuários.

As novas diretrizes do plano prevêem o investimento de R$ 100 milhões por mês em clínicas, laboratórios e hospitais. O objetivo é assegurar a assistência à saúde do servidor, entre ativos, aposentados e seus dependentes e agregados. Na rede credenciada de hospitais, o dispêndio será de cerca de R$ 400 milhões. Já em exames e consultas eletivas, o plano manterá o investimento de R$9,4 milhões. Para materiais e medicamentos, serão destinados R$ 320 milhões por ano.

Segundo Cristina, algumas diretrizes foram determinadas pela Secretaria da Administração do Estado (Saeb) para o Planserv: preservação do equilíbrio financeiro do plano, aprimoramento da gestão da rede e a interiorização dos serviços. “O investimento demonstra a importância do Planserv para a saúde suplementar da Bahia, consolidando o plano como um dos maiores responsáveis pela movimentação econômica e financeira do mercado”, analisa Cristina.

Para a coordenadora, a representatividade do Planserv no mercado está consolidada e tende a avançar ainda mais com a ampliação dos mecanismos de avaliação dos serviços prestados, sempre visando a satisfação dos beneficiários. A rede atual possui 1.600 prestadores de serviços, oferecendo cobertura para consultas, pronto atendimento, emergências, exames em geral, internações clínicas e cirúrgicas, assistência domiciliar, tratamentos seriados e suporte medicamentoso.

Equilíbrio - Em relação à manutenção do equilíbrio financeiro do plano, Cristina Cardoso acrescenta que sua gestão manterá rigoroso controle sobre os gastos. “Reconhecemos a importância para o mercado de saúde suplementar, mas quando se trata de recursos públicos, não podemos perder de vista o ´bom gasto´, aquele qualificado e bem aplicado”, explica.
 
A coordenadora lembra que a determinação é avançar na qualificação do serviço a partir das conquistas alcançadas. Uma das exigências da atual gestão é a observância aos limites orçamentários estabelecidos na Lei Orçamentária Anual (LOA).
 
Anualmente, o Planserv realiza mais de 1,6 milhão de consultas eletivas (133 mil/mês); 530 mil atendimentos em serviços de emergência (42,2 mil/mês); 12,7 milhões de exames de diagnóstico em geral e de imagem; e 57 mil internações hospitalares. O Estado investe na saúde do servidor cerca de R$ 2.400,00 per capta por mês. Dos mais de 485 mil beneficiários do plano, cerca de 101 mil encontram-se na faixa etária acima de 59 anos. O Planserv possui também cobertura para netos, que já totalizam 61 mil beneficiários.
6490 leituras